Apesar de precocemente reconhecida, consagrada e premiada, Orides Fontela, enquanto mantinha sua alta produção poética, depois de cursar filosofia na USP nos anos 1960-70, entregou-se a uma vida cada vez mais reclusa, na verdade, antissocial, até morrer sozinha em um sanatório para tuberculosos em Campos do Jordão. O enigma Orides, de Gustavo de Castro, é a biografia de uma das maiores poetas brasileiras modernas – além de conter 22 poemas inéditos redescobertos pelo autor.

Integrante da geração de Paulo Leminski, Hilda Hilst, Roberto Piva e Adélia Prado, a poeta paulista Orides Fontela [1940-1998] surgiu na cena literária brasileira da segunda metade do século XX descoberta pelo professor de teoria da literatura da USP Davi Arrigucci Jr., que em seguida apresentaria sua obra a Antonio Candido.

Dessa descoberta resultaria seu primeiro livro, Transposição [1969], seguido de Helianto [1973], Alba [1983 – Prêmio Jabuti], Rosácea [1986] e Teia [1996 - premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte].

O enigma Orides, obra contemplada pelo Rumos Itaú Cultural 2013-2014, narra em detalhes a história por trás de uma poesia ao mesmo tempo radicalmente moderna, bela e áspera – poesia que foi reunida por completo, entre todos os seus livros lançados em vida, em seu Poesia completa.

Gustavo de Castro nasceu em Natal, RN [1968] e vive desde 2002 em Brasília [DF]. É poeta, escritor, jornalista e antropólogo. Autor do romance Todo amor que eu possa aguentar [Casa das Musas, 2014] e dos livros Poemas vis [2011], Alegria carmim [2013] e Taos – guia primário para perplexos [2013]. É professor de estética na UnB.


VEJA TAMBÉM

Ficha técnica

Número de páginas
240
ISBN
9788577153725
Encadernação
Brochura
Peso
0.33 kg
Ano de lançamento
2015

Compartilhe