Uma «Suma Sacerdotisa» nada casta

Para Emma Goldman, a vivência da própria sexualidade e da expressão livre do seu amor estava de acordo com as suas concepções anarquistas.


Por que ler Júlia Lopes de Almeida hoje?

Os fatos que levaram a autora a não ser reconhecida como deveria tornam ainda mais urgente a divulgação e discussão de sua obra. 


Por que ler Maria Firmina dos Reis hoje?

Ler a obra de Maria Firmina nos oferece novas perspectivas sobre a literatura e a sociedade brasileira do século XIX, mas que, de certa maneira, ressoam nas estruturas mantidas até os dias atuais.


O que difere um narrador de um contador de histórias?

O ensaio O contador de histórias, de Walter Benjamin, aborda o esvanecimento dessa tradicional figura em uma época de empobrecimento da experiência


« O lenço »

« Certa vez, quando lhe entreguei um lenço que havia caído ao chão — ainda hoje sei como seu emblema me impressionou: um brasão tripartido com três estrelas em cada um dos campos —, ouvi-a dizer seu obrigada com uma expressão que era como se eu tivesse salvo sua vida. » Continue lendo o capítulo do livro de Walter Benjamin na íntegra


O medo do vazio e uma terra a ser dominada

O horror ao vácuo emerge como princípio estético em um lugar a ser preenchido, dominado, colonizado


Novo selo da Hedra

Ayllon, homem do século XVII, que não poderia ser facilmente classificado como uma figura religiosa


O racismo como pirataria social no século XXI

A acumulação do tempo mercantil escravista foi decisivo para a formação do capitalismo moderno


O mundo mudou

Como escapar da morte não mais pela grande guerra, nem por uma vontade de governos e cidadãos contra outros povos, como pretendeu o nazismo?


Uma nota sobre notas

Notas são referências e não hiperlinks, mas fazem pensar no escritor que não quer ser contradito


Informação, conhecimento, sabedoria

Bilhões de pessoas conectadas e números incalculáveis de dados: a busca é por informação?


A história não se repete, ela se estende até a náusea

A espiral de violência apresentada nos artigos de Heinrich Heine


Quão representativo é o governo democrático (e vice-versa)?

Como se estabelece a relação de representação dos governantes com os eleitores?


O riso como impressão digital

Ao rir a pessoa revela se é amada, se tem medo, se deseja, se é feliz


Até que grau a vida precisa da história?

Como a cultura histórica da erudição vazia não permite ver horizontes mais amplos


Dostoiévski e a pintura russa

A mostra da Exposição Mundial de Viena comentada por um dos maiores escritores da Rússia


O enigma Orides revelado

O silêncio que cerca sua obra torna-se grandemente explicável, ainda que inversamente justificável


O Marquês de Sade e Sacher-Masoch no cancioneiro brasileiro

Glauco Mattoso aponta o sadomasoquismo na cultura popular além-literatura


Walt Whitman ou a ascensão e a queda da poesia moderna

Mesmo a guerra, repleta de horrores, descobre o dom de curar as feridas de um país dividido


Viajar é preciso

As pretensões intelectuais e discussões sobre a natureza do homem e da sociedade do século XVIII


Escravidão e atraso

Brasil criativo, jovem e mestiço que vive uma das realidades mais desiguais e violentas do mundo


A alta modernidade de Machado de Assis

O que Machado tem a ver com Freud? Nada, se não fosse quase tudo


O que significou um dia ser intelectual

Sendo ficção ou texto jornalístico, Émile Zola jamais deixou de intervir no que julgava importante